Agille Tech

Soluções tecnológicas de alto impacto e custo acessível

A Agille Tech nasceu da união de quatro sócios que queriam criar uma empresa com propósito que fosse além de lucro e retorno sobre investimento. Não pensamos em uma ONG ou trabalhos filantrópicos. Queríamos uma empresa mesmo. O caminho natural, até mesmo pela experiência dos sócios-fundadores, foi idealizarmos uma empresa de sustentabilidade.

Mas acontece que empresas de sustentabilidade existem aos montes. Muitas estão focadas em prestar serviços ambientais. Muitas outras se posicionam como empresas que criam e gerenciam projetos sociais. E mesmo ainda sendo um conceito de difícil entendimento já se existem muitas empresas de consultoria de sustentabilidade.

E aí pensamos: ok, queremos ser uma empresa cujo produto é sustentabilidade, mas como podemos leva-la para o mercado de uma forma diferente do que é feito hoje e que gere resultados de alta performance para os clientes?

Pensamos, pensamos e pensamos. A partir de muita pesquisa, muita observação da concorrência, muita capacitação (sim, voltamos aos bancos universitários!) e muita validação no mercado, encontramos uma resposta. E essa resposta veio da união de uma fórmula bem simples: sustentabilidade + inovação.

 

 

Tecnologia

 

Aliando sustentabilidade com inovação e utilizando a tecnologia como base para os produtos, criamos a Agille Tech, uma startup que tem como propósito ser a primeira empresa brasileira focada no desenvolvimento de aplicativos e sistemas voltados para a gestão da sustentabilidade corporativa.

Nossa proposta inicial é o SustentAPP. Um webapp que trabalha sustentabilidade na cadeia de fornecedores de grandes empresas. Selecionamos o setor de Óleo e Gás para atuarmos.

 

 

As Dificuldades

Quando falamos de sustentabilidade corporativa, estamos falando de um universo ainda muito restrito às grandes organizações. Isso acontece porque, geralmente, falta às empresas de menor porte a visão de que sustentabilidade é estratégia e não custo. Em paralelo, há a dificuldade de muitas vezes ser necessário um aporte financeiro inicial para adequar a empresa às questões de sustentabilidade e que, raramente, esse tipo de empresa possui capital para custear o investimento e/ou pagar o alto valor cobrado por consultorias.

 

A Necessidade

Mesmo com as dificuldades, praticar sustentabilidade nas micro e pequenas empresas torna-se fundamental por dois motivos: Os consumidores estão mais conscientes e exigentes em relação à sustentabilidade; Milhares de micro e pequenas empresas fazem parte da cadeia de suprimento das grandes organizações e estas vêm cobrando cada vez mais evidências de sustentabilidade de seus fornecedores.

Desde a década de 90 o mercado vem se tornando cada vez mais restritivo no que diz respeito à sustentabilidade e aos impactos gerados pelo processo produtivo das empresas. O ponto nevrálgico começou quando as grandes corporações se viram no meio de denúncias envolvendo seus fornecedores, tendo a imprensa mundial dado amplo destaque aos casos.

 

A Importância

O tema ganhou tanta importância no meio corporativo, que empresas que fazem parte do Dow Jones Sustainability Index ou do ISE Bovespa, por exemplo, são obrigadas a estender o conceito à sua cadeia produtiva. Bancos e fundos de investimento signatários dos Princípios do Equador são obrigados a cobrar das empresas que queiram receber aporte financeiro evidências de sustentabilidade em toda a sua cadeia. O GRI, principal modelo de reporte de sustentabilidade, incluiu indicadores de sustentabilidade para fornecedores em seus relatórios.

Surgiu nos últimos anos a necessidade de as grandes empresas tratarem do tema em suas cadeias de fornecedores, sendo que, na maioria das vezes, essa cadeia é bastante extensa e complexa.

 

A Agille Tech surgiu no inicio do ano de 2014, conseguiu o primeiro aplicativo gratuito por vencer um concurso de startup. A empresa ficou entre as 10 primeiras colocadas no Rio Inovation Open que ocorreu no Sustainable Brands 2014 e também entre os 10 primeiros no prêmio Jovem Empreendedor FGV/InfoGlobo. Contamos atualmente com 4 sócios proprietários, nenhum funcionário. A startup conta com o apoio da COPPE-IDEA para seu desenvolvimento e também do programa Shell Iniciativa Jovem.

A startup está esperando seu CNPJ, possui Nire e não tem mais pendências perante à Junta Comercial do Rio de Janeiro.

 

Iniciantiva-jovem1 tit-1